(41) 4042-5112

Rua XV de Novembro, 964 - Centro Curitiba - PR

©2020 por Editora Ideário.
Selo Editorial da Profissionais.com

 
  • Marcus Garcia

#peroladodia

Atualizado: 30 de Ago de 2019

O conhecimento do qual nos apropriamos é nosso, mas ele só ganha valor quando é compartilhado e colocado a serviço de ajudar a melhorar as pessoas. Lembre-se que boas pessoas tem o poder de tornar o mundo um lugar melhor.


Se eu sei... sei!

Reflexão trata-se de um convite para que você discuta seu pensamento sobre situações inusitadas ou não que já tenha enfrentado no dia a dia ou que pretenda se preparar para quando elas aparecerem. Porém, se parecer que, por um instinto natural, você esteja se compelindo a negar a importante obviedade da proposta, pode ser que esta seja a força que estava faltando para você abraçar o desafio. Assuntos como: ritual, mentiras, juízo, relação, promessa, entre outros, são expostos, jogados, esparramados e desconstruídos sobre tudo que você já viveu. Isso provavelmente lhe causará impacto. Olha a oportunidade para reordenar alguns conceitos em sua mente, desconstruir alguns modos de pensar que colocarão o seu “aracnídeo mental” a tecer e estabelecer novas conexões.


Dica:

O instinto de descobrir-se fará você buscar quais são as verdades que você coleciona em sua forma de encarar o mundo de coisas das quais você se cerca. Sim, isso mesmo, as pessoas fazem isso com elas mesmas. Elas se cercam de suas próprias verdades ao ponto de ficarem aprisionadas em suas pouco flexíveis e até imutáveis formas de ver o mundo. Não adianta disfarçar as paredes com cores alegres, pois atrás das cores ainda haverá uma prisão!


Desfrute do seu cérebro!

A neurociência já comprovou que nosso cérebro não precisa de nossa interferência para fazer seu trabalho e é isso que define nossa essência, ou seja, como nós entendemos o que pensamos. O pensamento das pessoas não é guiado pelo acaso, ao contrário ele é intencional e em sua essência ele busca dar forma e sentido às nossas muitas batalhas internas.

Sempre que queremos nos afirmar, mostrando que somos capazes de realizar coisas, quer seja para nós mesmos ou para as outras pessoas, nossa necessidade é fazer com que as coisas pensadas por nós se encaixem, façam sentido e deem sentido às certezas que defendemos. Na verdade, nosso cérebro não está nem um pouco preocupado sobre o que ou em que acreditamos, mas apenas em como essa crença pode vir a definir nossa essência!